LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR (LCA)

O Joelho

O joelho constitui uma das articulações mais importantes do corpo humano. Sua amplitude de movimento, resistência a cargas cíclicas, a estresses laterais e torsionais revelam uma complexa interação de estruturas interdependentes. A estabilidade articular do joelho depende principalmente da disposição dos ligamentos colaterais e cruzados associados a adjuvantes secundários como os meniscos.

O Ligamento

O LCA, ligamento cruzado anterior, é responsável pela restrição à translação anterior da tíbia em relação ao fêmur e principalmente por uma parcela importante do equilibrio rotacional do joelho. Em outras palavras o paciente com o LCA deficiente apresenta dificuldade para realizar atividades com componente rotatório como jogar futebol, basquete ou até durante tarefas simples como mudar de direção ao caminhar ou entrar no carro.

Causas

O mecanisco de lesão geralmente envolve uma entorse do joelho. Frequentemente observa-se um trauma em valgo (quando o joelho vai para o ”lado de dentro”) com rotação externa da tíbia com o joelho semi-flexionado. Outras formas descritas são a hiperextensão, quando o joelho é esticado além do seu limite. Na maioria das vezes a lesão ocorre de forma indireta, porém acidentes automobilísticos e traumas desportivos por exemplo podem desencadear uma ruptura por trauma direto.

Sinais e Sintomas

No momento do trauma é comum o paciente ouvir ou sentir um estalo seguido de dor intensa, inchaço da articulação e incapacidade para andar. É comum uma limitação da amplitude de movimento no período pós trauma. Após o período inicial o sintoma mais marcante é a instabilidade propriamente dita decorrente da ausência funcional do LCA, caracterizada por falseios, “falta de firmeza” no joelho afetado em determinadas situações.

História Natural

Sabe-se que o paciente que sofreu lesão do LCA pode experimentar instabilidade frequente no joelho (o joelho sai do lugar). Nesse contexto deve-se ter em mente que o paciente com “joelho frouxo” em um contexto de médio/longo prazo apresenta risco aumentado para ocorrência de outras lesões intra-articulares como a lesão de meniscos ou cartilagem. Essas últimas lesões associadas a própria lesão do LCA configuram fator de risco para artrose de joelho (desgaste da articulação).

Tratamento

O tratamento da lesão do ligamento cruzado anterior pode ser conservador ou cirúrgico. Este último é bem mais frequentemente indicado devido a idade jovem da maioria dos pacientes lesionados. A principal indicação cirúrgica é a instabilidade em si, pois o paciente frequentemente não consegue praticar de forma adequada algumas atividades desportivas ou até atividades do dia a dia. Consideramos também o fator protetor do procedimento ao indicar o tratamento cirúrgico (evitar lesões intra articulares secundárias à instabilidade que podem variar desde entorses leves à entorses mais graves, associados a lesão meniscal, condral e/ou até mesmo fratura). O tratamento conservador envolve fortalecimento muscular e é indicado em pacientes com idade mais avançada (conceito relativo) e nos pacientes que além de não desejarem ser submetidos ao procedimento de reconstrução, estejam dispostos a se adaptar a atividades que exijam menos do joelho.